sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Para refletir


"A literatura sobre os elos entre a sociedade civil e a democracia tem suas raízes nos primeiros escritos liberais como aqueles de Alexis de Tocqeville. Todavia, eles se desenvolveram de modo significativo pelos teóricos doséculo XX, como Gabriel Almond e Sidney Verba, que identificaram o papel da sociedade civil numa ordem democrática como vital.

Eles argumentaram que o elemento político de muitas organizações da sociedade civil facilita uma cidadania mais consciente e melhor informada, que faz melhores escolhas eleitorais, participa da política, e assegura, como resultado, que o governo seja mais responsável.

Mais recentemente, Robert Putnam argumentou que mesmo organizações não-políticas na sociedade civil são vitais para a democracia. Isto porque elas constroem capital social, confiança e valores compartilhados, os quais são transferidos para a esfera política e ajudam a manter a sociedade junta, facilitando uma compreensão da interconectividade da sociedade e dos interesses dentro dela.


Nos dias de hoje, o termo sociedade civil é freqüentemente utilizado por críticos e activistas como uma referência às fontes de resistência ao domínio da vida social que devem ser protegidas da globalização. Isto ocorre porque ela é vista como actuando além das fronteiras e através de diferentes territórios. Todavia, enquanto a sociedade civil possa, sob muitas definições, incluir estes negócios e instituições que apoiam a globalização, este uso é contestado.

Por outro lado, outros vêem a globalização como um fenômeno social trazendo valores liberais clássicos , os quais inevitavelmente levarão a um papel maior por parte da sociedade civil, às custas das instituições politicamente derivadas do estado."

Fonte: Wikipédia

Tudo isso para completar um raciocínio meu...se fazemos parte de uma sociedade civil, deve ser que o poder está em nossas mãos, basta que nós enquanto sociedade civil, nos organizemos melhor e nos inteiremos não só de assuntos como meio ambiente, reciclagem, direitos iguais, cotas em faculdades, climatização e etc., isso importa, sim, mas também precisamos estar atentos em saber onde é aplicado nosso dinheiro, pois pagamos impostos muito caros em tudo que utilizamos para não nos importarmos com a política em nosso país. O mensalão está aí, e desanima ao ver uma reportagem em que foi feita uma pesquisa para saber o que as pessoas nas ruas estavam achando do mesmo, e a grande maioria respondeu que ou não estava acompanhando ou que estava desanimado porque a corrupção no país não tem jeito mesmo. Poxa se não partir de nós a cobrança, o acompanhamento, a sede de mudança, vai partir de quem então? Pode não ser ainda um exemplo de punição, mas algum passo foi dado para os culpados dessa crise política que mais uma vez é uma vergonha para a nação brasileira. 

Se o mesmo país que para pra ver o final de uma novela, parasse para cobrar de seus governantes uma segurança pública digna, um sistema de saúde competente, um sistema de ensino sério, creio que seríamos um país menos sofrido. 

O tão cobiçado" poder" está nas mãos da sociedade civil, ela apenas tem que tirar a "venda " dos olhos e enxergar que pode muito mais.

R. Carvalho

4 comentários:

Anônimo disse...

Precisa ser tão linda assim? Além de poemas, poesias textos bem elaborados e escolhas de músicas perfeitas, ainda gosta de debater política. Mulher inteligente e bem informada é tudo que um homem gosta.É uma pena que a maioria tem a cabeça tão vazia. Gostando dos seus posts.
Um beijo.
Caio C.

R. Carvalho disse...

Precisamos exercer CIDADANIA.Obrigada por comentar. Abraço.

Profª Lourdes disse...

Oi Rônia! Obrigada pela visita. Parabéns pelo seu blog, concordo co a pessoa anônima que escreveu acima, seu blog tem de tudo que é bom, parabéns sues textos , poesias , etc são maravilhosos. Bjuss sucesso.

R. Carvalho disse...

Olá professora Lourdes! Um elogio desses vindo de você é tudo de bom! Fico muito feliz e lisonjeada. Obrigada pelo carinho de sempre. Bjs e mais sucesso ainda p/ você!

Postar um comentário